The Oliver Awards

Com vocês uma nova edição da mais amada premiação da rede!

The Oliver Awards

Na seleção de hoje teremos:

Os cinco micos mais vexatórios que VOCÊ JÁ PAGOU na internet!

 

5º lugar: Esperar dar meia-noite para se conectar

A chegada da internet em terras Cabralinas contribuiu de maneira determinante para forjar novos hábitos socioculturais, entre eles a insônia crônico-coletiva. Responsável por inúmeros atrasos e demissões, além de brigas domésticas e destruição sistemática de pratos, copos e rolos de macarrão, a internet discada mudou definitivamente a rotina do geek brasileiro. Realmente era muito desagradável ter de ficar acordado até tarde para poder usufruir todas as maravilhas da informação globalizada em tempo real, ainda que a 56kbps. Mas o problema começava mesmo quando o sujeito resolvia levantar furtivamente da cama para dar aquela espiadinha em algum site “educativo”, enquanto a esposa curtia o seu sono embelezador. Nove entre dez tentativas costumavam terminar sem sustos, mas em alguns casos, o incauto esquecia de verificar se a caixa de som do PC estava desligada. E aí… BZZZZfffffffhdhjfdfgshfdhrzoooooigpiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!

Este período histórico também deixou marcas profundas no pensamento filosófico nacional, sintetizadas na máxima: Caso ou compro um computador?

4º lugar: O famigerado botão “Encaminhar”

E-mail é prático. E-mail é rápido. Mas decididamente é cheio de percalços! Quem nunca apertou o “Encaminhar para todos” quando queria apenas o “Encaminhar” ou o básico “Responder” que atire o primeiro mouse de bolinha!

Para minha sorte (e de muitos) o g-mail não possui o botão “Encaminhar para todos”.

G-mail salvando vidas! E reputações alheias.

3º lugar: Pagar de Gatcheeeenha(o) na Fotcheeeenha do Profile

Ah! A inclusão digital!

Computadores! Internet! Celulares! Celulares com câmera! Celulares com câmera E acesso à internet! Junte tudo isso mais aquele Photoshop piratex baixado via torrent (e em muitos casos, o espelho do banheiro) e… PIMBA! Nunca dantes o Brasil foi povoado por tantas pessoas bonitas, fashion, bem de vida e em forma.

Inteligentes, nem tanto. Ainda não inventaram o Brainshop, embora, ao que parece, em algum lugar da asia já existem estudos em andamento.

2º lugar: Bater boca em alguma comunidade do Orkut

Passatempo dos mais praticados nos primórdios do século XXI (também conhecida como era Pré-ipadiana), consistia basicamente em eleger um oponente aleatório em algum fórum virtual e partir para a agressão semântica. Nestes combates, permitia-se o uso de quaisquer recursos: Psicologia, filosofia, história, economia, astrologia e até mesmos dizer que a Mãe não é homem! O assunto original da pendenga pouco importava, afinal de contas o foco só se mantinha até a segunda ou terceira rodada. A partir daí entrava-se inevitavelmente na agressão generalizada, que só terminava quando a mãe de algum dos atletas avisava que já era hora de “desligar essa joça e ir pra cama”.

Porém, os avanços tecnológicos e sociais(?) conduziram paulatinamente este esporte à obsolescência e ao ostracismos (traduzindo: saiu de moda, totalmente last year, saca?).

É claro que, atualmente, muitas pessoas continuam batendo boca no Twitter ou Facebook, via iphone, utilizando suas conexões wi-fi, o que é essencialmente a mesma coisa, embora os praticantes contemporâneos insistam em afirmar (com pirraças e caretas) que trata-se de algo completamente diferente.

Então tá…

1º lugar: “Quer TC?”

O equivalente virtual ao “Pode ser ou tá difícil?”. Foi talvez a frase mais utilizada na internet brasileira, possivelmente sendo superada apenas pelo “Vai se F**** seu F**** da P***.

Esta frase permanece como um resquício etmológico de tempos antigos e mais simples, onde caçadores nômades vagavam solitários em salas de bate-papo (com suas lanças em punho) a procura da próxima vítima para o fim de semana ou feriado. Os exploradores deste período eram, acima de tudo, bravos! Afinal de contas, antes das redes sociais e mesmo das sofisticadas fotos na janelinha do MSN, toda a caçada era realizada, por assim dizer, às cegas. Logo era muito comum mirar numa tigresa e acabar a noite jantando carne de… Avestruz!

 

P.s. Para os que andam tendo dificuldades em acompanhar as sensacionais bagaças do PseudoArteaqui vai a dica:

Usem a opção “Notifique-me de novos artigos por e-mail” bem lá embaixo, perto do rodapé do site.

E não esqueçam de deixar seu comentário. Bom ou ruim.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Oliver, Textos, The Oliver Awards

2 Respostas para “The Oliver Awards

  1. Vanessa M.

    Cá estou eu! Não poderia perder mais um ‘The Oliver Awards’
    Amei, muito bom.. rss
    Gmail salvando vidas!!!!
    Ri muito para um manhã nublado.

    bjs

  2. Adriana

    Adorei querido! Quem nunca usou o “Quer tc?” numa sala de bate papo não sabe o que é viver perigosamente! rsrsrs
    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s